domingo, 16 de dezembro de 2012

Governo mais contestado com manifestações e greves

Até hoje, o governo mais contestado, nos quase 40 anos de democracia, foi o governo do designado Bloco Central tendo Mário Soares como 1º ministro (1983 a 1985).

Eram frequentes as manifestações em várias cidades do país a contestar os salários em atraso e a perda de poder de compra. A inflação atingiu, nesse período valores muito elevados: 25,5 % em 1983 e 29,3 % em 1984.

Com a desvalorização cambial e a taxa de inflação elevada, os salários reais caíram mais de 20%, naquilo a que podemos designar como um significativo empobrecimento da generalidade dos portugueses. Foi o período de encerramento de fábricas e de salários em atraso em todo o país.

Apesar da contestação, frequentemente ideológica e com fins políticos, liderada pelo PCP e sindicatos da CGTP com ameaças que quase se concretizaram em 1985 na Marinha Grande (quando Mário Soares se candidatou à presidência da república), o governo não se demitiu e Mário Soares levou até ao fim o programa de recuperação do país concretizado com o apoio do FMI.

Mário Soares fez bem...e os portugueses agradeceram (elegeram Mário Soares como Presidente da República em 1985) e agradecem a convicção e firmeza demonstradas num período difícil.

Nunca sabemos se o rumo que seguimos é o mais adequado e se outra solução não poderia ser mais eficaz mas não podemos esquecer que os deputados que sustentam um governo são eleitos para mandatos de 4 anos e que quem votou em Bragança, Vila Real, Évora ou Portimão tem legitimidade para esperar que Presidente da República, parlamento e governo funcionem, para além das manifestações e pressões dos corredores privilegiados de Lisboa!


Sem comentários:

Publicar um comentário